Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

Newsletter

Justiça determina e PM cumpre reintegração de posse em áreas invadidas de Camboriú

A Polícia Militar cumpre desde as primeiras horas desta quinta-feira (16/2) decisão da juíza Cláudia Ribas Marinho que, em ação de reintegração de posse proposta pela Prefeitura Municipal de Camboriú, determinou a retirada de 360 famílias que invadiram quatro áreas públicas no bairro Monte Verde, naquela cidade. A operação envolve mais de 200 policiais, entre eles integrantes do Batalhão de Choque, Cavalaria e Canil, com apoio do corpo de bombeiros e Samu, além da utilização de persas viaturas, helicóptero e até dois drones para fazer registros aerofotográficos. A Prefeitura Municipal e seus órgãos, assim como a Subseção da OAB, também têm representantes na grande operação, que teve preparação de dois meses. Oficiais de Justiça da comarca de Camboriú foram responsáveis pela intimação das famílias, que invadiram as áreas ao final do primeiro semestre do ano passado. Na ação de reintegração proposta pela administração municipal, a juíza Cláudia chegou a fixar prazo de 15 dias para desocupação voluntária dos terrenos. Poucos atenderam à orientação, de forma que a magistrada, titular da 2ª Vara Cível da comarca de Camboriú, determinou a retirada das pessoas e a retomada da posse em favor do Executivo Municipal. "A ocupação não completou ano e dia, está longe de ser caracterizada como consolidada, e a Prefeitura apresentou provas cabais de titularidade sobre as áreas", resumiu a juíza. A Polícia Militar cumpre desde as primeiras horas desta quinta-feira (16/2) decisão da juíza Cláudia Ribas Marinho que, em ação de reintegração de posse proposta pela Prefeitura Municipal de Camboriú, determinou a retirada de 360 famílias que invadiram quatro áreas públicas no bairro Monte Verde, naquela cidade. A operação envolve mais de 200 policiais, entre eles integrantes do Batalhão de Choque, Cavalaria e Canil, com apoio do corpo de bombeiros e Samu, além da utilização de persas viaturas, helicóptero e até dois drones para fazer registros aerofotográficos. A Prefeitura Municipal e seus órgãos, assim como a Subseção da OAB, também têm representantes na grande operação, que teve preparação de dois meses. Oficiais de Justiça da comarca de Camboriú foram responsáveis pela intimação das famílias, que invadiram as áreas ao final do primeiro semestre do ano passado.Na ação de reintegração proposta pela administração municipal, a juíza Cláudia chegou a fixar prazo de 15 dias para desocupação voluntária dos terrenos. Poucos atenderam à orientação, de forma que a magistrada, titular da 2ª Vara Cível da comarca de Camboriú, determinou a retirada das pessoas e a retomada da posse em favor do Executivo Municipal. "A ocupação não completou ano e dia, está longe de ser caracterizada como consolidada, e a Prefeitura apresentou provas cabais de titularidade sobre as áreas", resumiu a juíza.
16/02/2017 (00:00)
© 2017 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia